As descobertas que faço e coisas que aprendo

Muitas empresas e profissionais optam por utilizar SaaS hoje em dia pelo fato de que na maioria das vezes é mais barato, demanda menos configuração e você consegue mudar ou desativar um recurso de maneira muito fácil.

O que é SaaS?

É um software vendido como serviço (Software as a Service). São serviços que você adquire e utiliza os recursos conforme você necessita, em sua grande maioria são aplicativos online com funcionalidades que atendem as suas necessidades. Muitos SaaS oferecem uma versão gratuita ou de testes e uma versão paga em forma de plano para utilização de seus serviços.

Alguns exemplos de SaaS:

  • Jivochat: Aplicativo para gerenciamento de chat online e mensagens virtuais, grátis para 1 usuário e possui um plano mensal para equipes.
  • Google Drive: Espaço virtual em máquina do Google para guardar seus arquivos, a partir de X GB começa a pagar.
  • Netflix: Software para assistir filmes e séries online, paga mensalmente pelo serviço.
  • Microsoft Office: Aplicativos do pacote Office como Word, Excel, PowerPoint. Paga por uma licença que libera todas as funcionalidades.
  • Mailchimp: Software para envio de e-mail marketing, gratuito até atingir X envios, depois paga para utilizar.
  • Basecamp: Software para gerenciamento de projetos, gratuito para 1 projeto, para liberar mais projetos possui um plano anual.
  • Figma: Programa colaborativo para criação de interfaces digitais. Gratuito com acesso completo, plano pago libera acesso a mais projetos e histórico.
  • Github: Site para controle de versões de códigos, gratuito para projetos abertos e com limitações em projetos privados. Plano pago com todos os recursos liberados.
  • Adobe Photoshop: Programa para edição de imagens, possui versão de teste por 30 dias e após o teste é necessário comprar uma licença (chave de produto) para continuar utilizando.

Viu um padrão? Você utiliza um software (programa, aplicativo, site...) que é distribuido por uma empresa centralizada. Essas empresas disponibilizam o software deles para que você possa realizar a ação que eles prometem, no inicio com alguns limites e caso queira acesso á tudo, você paga pelo serviço.

É assim que funciona um modelo de negócio baseado em venda de softwares como serviço. As formas mais comuns de cobrança são licença por usuário (Pay per User) ou cobrança por utilização (Pay per Use).

As principais vantagens para empresas e profissionais que utilizam SaaS:

  • Flexível: Usar um software como serviço permite que mudanças sejam feitas rapidamente, você pode alterar sua plataforma em tempo real de maneira rápida e consistente. Também é muito simples aumentar um plano, adicionar um novo plugin ou gerenciar funcionalidades.
  • Terceirização: Você consegue terceirizar grande parte de suas necessidades, isso reduz custos, mão de obra, equipe, infraestutura... Imagine por exemplo se produtos como o Slack não existissem, você teria que montar uma estrutura de servidores dentro de sua empresa ou casa para poder utilizar um chat online. Trabalho né?
  • Integração: Se você utiliza diversas ferramentas ou sistemas em seu dia-dia uma integração é muito bem-vinda, normalmente a maioria dos softwares integram com os programas mais utilizados do mercado. Assim você pode utilizar os dados que você já possui para configurar seu novo SaaS.
  • Automação: SaaS em sua grande maioria possuem comandos e automações que podem ser configuradas pelo seu time, isso auxilia no fluxo de trabalho. Os softwares que não possuem automações por padrão normalmente disponibilizam a possibilidade de integração com plugins como é o caso do Trello.
  • Sempre atualizado: Seu time sempre estará utilizando a versão mais estável, segura e testada de um software em constante desenvolvimento. E você pode ficar tranquilo, as atualizações acontecerão sem que você perceba.
  • Suporte: Toda sua equipe contará com um suporte contínuo na utilização do software, se for uma distribuidora grande provavelmente tera suporte 24/7, um alívio para empresas que dependem muito de suas ferramentas.
  • API: Se o SaaS que você escolher disponibilizar um acesso a uma API você pode ter um sistema próprio consultando e trabalhando com os dados do SaaS. Com isso sua equipe pode desenvolver novas soluções com um fluxo de dados que já estão sendo utilizados em seu SaaS.

Desvantagens, por mais que sejam raras, podem existir

Nem tudo são flores, existem algumas desvantagens em utilizar um SaaS. Mas depende muito de o que e como você irá utilizar.

  • Limites: Obviamente você e seu fluxo de trabalho precisarão se adaptar ao software que for escolhido, na grande maioria você pode realizar muitas personalizações, porém dentro do que é pré-definido.
  • Alterações: Toda alteração realizada no software é focada para uma grande massa de usuários, então você precisa se adaptar ao que há de novo.
  • Funcionalidades Removidas: Com alterações podem existir itens que são removidos, e se por falta de sorte for aquela funcionalidade que você tanto adora infelizmente você terá que se adaptar.
  • Cancelamento: Preste atenção na forma de cancelamento do SaaS antes de contratar o produto, você pode acabar "preso" em uma anuidade de algo que é ineficiente para você. Pesquise como é cancelar com essa empresa, se possui um cancelamento rápido e fácil.
  • Licenças: Conheça bem os limites de sua licença e o que você pode fazer com ela, tenha certeza que atende as necessidades que você precisa para que evite gastos desnecessários.
  • Contrato: Mesclando com os dois pontos acima atente-se ao contrato e todas as claúsulas que ele lista, você pode acabar tendo problemas futuros caso alguma clausula afete o processo de sua empresa. Principalmente se você for uma empresa de médio/grande porte.
  • Dependência: Com o tempo você ficará dependente de seu SaaS, todo o fluxo e processos de trabalhos vão ser guiados com base em um sistema de terceiro. A primeira vista parece algo tranquilo, mas e se a empresa do software fechar (é raro)? Como ficam os processos de sua empresa? Você consegue trabalhar sem esse software?
  • Atualizações: Esse ponto pesa principalmente para SaaS que é baseado em plataforma web, a grande maioria das atualizações são aplicadas em tempo real, por mais que sejam introduzidas de maneira contínua e quase imperceptível em alguns momentos elas podem impactar sua rotina. Um dia um botão está ali e no outro...
  • Backup: Com quem ficam seus dados? De quem é a responsabilidade do backup de tudo? Você tem acesso a um backup completo de tudo que adicionou no SaaS? Preveja isso antes que seja tarde, se você precisar migrar de software por algum motivo é bom que tenha um backup fácil e rápido. É comum alguns softwares cobrarem por backups extras ou backups muito antigos, previna-se.

Com esses pontos você consegue ter uma base inicial para que tenha um parâmetro de escolha e críticas na hora de contratar um SaaS para sua empresa. Reforço novamente que muitos desses softwares são extremamente bons e muito utilizados por uma parcela do mercado, com certeza podem ajudar você a melhorar seus processos.

Dê uma pesquisada e tente encontrar um software que possa melhorar, automatizar ou facilitar o dia a dia de seu trabalho.

Se você é um engenheiro ou desenvolvedor recomendo dar uma olhada nos 12 fatores para um SaaS eficiente.

Até mais!

Grande parte dessas informações foram retiradas do curso que realizei: Understanding Software-as-a-Service